Saltar para o conteúdo

Na época em que tomei uma Newcastle Brown Ale, na Adega Tutóia em SP, me apaixonei pelo estilo: uma cerveja leve, gostosa, não tão escura quanto as outras inglesas, mas tão refrescante que instiga a tomar várias (é a tal drincabilidade). Encontrei uma brasileira no estilo e não poderia perder a chance de  experimenta-la e apresentar aqui, minhas impressões.

Descrição da cerveja

"A origem dessa receita é da Inglaterra, sendo a Klein a primeira cervejaria brasileira a engarrafar esse estilo, ela pertence a família das Ale, leva 5 tipos de maltes e lúpulo inglês. Seu sabor lembra caramelo e nozes. Harmoniza com queijos (Camembert e Parmesão), carnes vermelhas e pratos condimentados".

Fabricante: Klein Bier
Estilo: American Brown Ale
Ingredientes: Água, malte, lúpulo, levedura

Temperatura Ideal: 8 - 12 ºC
Álcool (%): 5,2%
Tamanho: 600 ml
Copo Ideal: Pint e Nonic

"De origem inglesa é feita com 5 tipos de maltes importados e lúpulo trazido da Inglaterra. A Brown Ale faz parte da família de alta fermentação, sua cor é acobreada e os sabores lembram nozes e caramelo".


Degustação da Klein Brown Ale


Já iniciei essa degustação lembrando do gosto da Newcastle, o que chega a ser covardia com qualquer outra cerveja do estilo. Sobre a degustação: com um marrom quase transparente e uma espuma levemente bege de boa formação e de média duração, aroma pouco acentuado, quase inexistente. No sabor, pouco dulçor, final amargo e refrescante. Tomaria várias na sequência, uma boa cerveja. Recomendo.  

O processo de fermentação acontece quando aos microrganismos unicelulares chamados de Saccharomyces, os "fungos do açúcar" ou leveduras, comem o açúcar que fazem parte do "mosto do malte" e o transforma em gás carbônico e em álcool.
A fermentação ocorre em diversos produtos conhecidos: ocorre no pão, no bolo e no vinho, mas o que importa mesmo é a fermentação que ocorre na cerveja... O tipo de fermentação é um assunto que gera muita confusão para os novos entusiastas, me incluo nessa lista.
Por conta dos tipos de leveduras e dos processos de fermentação que existem, dizemos que existem três tipos de cervejas: Ale, Lager e Lambic. Vou explicar um pouco de cada um dos tipos. 
Ale





Nas antigas cervejarias, as leveduras atuavam na superfície do tanque aberto de fermentação, que era chamado de top fermenting, a tradução foi ao pé da letra, o que acaba causando dúvidas, assim as cervejas ALE são chamadas de cervejas de alta fermentação.
As leveduras do tipo ALE só se alimenta de açúcares do mosto do malte, à  temperaturas entre 15 e 25 graus. Essa particularidade, deixa as cervejas do tipo ALE mais aromáticas e com uma variedade de estilos diferentes como: as cervejas de trigos (Weizenbier e Witbier), as lupuladas (Pale Ale e IPA), as escuras (Porter, Brown Ale e Stout), as alcoólicas (Barley Wine), até as complexas (Belgian Dark Strong Ale).

Lager


Mais jovem dos tipos de cerveja sugiram no final do século XIV, mas apenas no século XIX, com o advento das cervejas Pilsen, ficaram famosas. Fruto de uma mutação das leveduras Ale, as leveduras do tipo Lager se concentram no fundo do tanque, botom fermenting, e só comem os açúcares em temperaturas entre 9 e 15 graus.
Uma Lager permanece maturando de uma a oito semanas em temperaturas mais baixas, daí o nome lager, que significa guardada ou armazenada. Novamente uma tradução ao pé da letra (botom fermenting), e as cervejas Lager passaram a ser chamadas de cervejas de baixa fermentação.
A joia de ouro da família Lager é o estilo Pilsen, o estilo é tão famoso que várias cervejas brasileiras que não são desse estilo, estampam Pilsen em seus rótulos. Outros estilos do tipo Lager são: Bock, Premium Lager, Vienna, Schwarzbier e Rauchbier.

Lambic


As cervejas Lambic são criadas através de fermentação espontânea. O mosto cervejeiro fica exposto ao ar livre em tanques ou barris abertos por até três anos. Por esse motivo, as cervejas Lambic são raras e caras.
Cervejas Lambic são elaboradas, geralmente, com 30% de trigo não maltados, adicionados a maltes de cevada. Mais de 80 microrganismos são identificados em uma garrafa de Lambic clássica.
Acredita-se que o tipo Lambic foi o primeiro tipo de cerveja a ser inventado.

Simpatizo com as Ale inglesas, principalmente as cervejas onde os maltes são mais tostados. Adoro as Stouts e as Porters. Essa semana decidi provar a Colorado Demoiselle, uma Robust Porter que leva adição de café em sua receita.

Descrição da Cerveja

"Demoiselle é o nome de um dos aviões inventados por Santos Dummont, que passou parte da infância na região da Alta Mogiana, onde seu pai foi um dos grandes expoentes no cultivo do café. E é esse ingrediente tipicamente brasileiro, combinado com maltes importados, que dá o toque singular no sabor e no aroma desta preciosa cerveja".

Fabricante: Cervejaria Colorado
Estilo: Robust Porter
Ingredientes: Água, malte, lúpulo, levedura e café da Alta Mogiana

Temperatura Ideal: 8 - 12 ºC
Álcool (%): 6,0%
Tamanho: 600 ml
IBU: 40 (Amargor)
Copo Ideal: Pint, Tulipa e Caldereta

"Cerveja de coloração escura, malteada e robusta, com sabor marcante de tostado. É feita da combinação de água, malte de cevada, lúpulo, levedura e café, sendo o último responsável também pelo seu singular aroma".

Degustação da Colorado Demoiselle

A Colorado sempre faz estilos clássicos com acréscimo produtos regionais. Em sua Porter não foi diferente, e a idéia de acrescentar café foi fantástica, realçou bastante o gosto e o aroma.

Vamos à degustação: No aspecto visual, o bonito rótulo da cerveja já é um bom começo e fica ainda melhor quando a colocamos no copo. Há uma boa formação e boa persistência de uma espuma pouco escura. No aroma é possível sentir claramente o café. O sabor é bom, a cerveja possui bastante corpo e um amargor semelhante ao do café. Uma dica é degustar sua Colorado Demoiselle com chocolate.

Adoro cervejas Stouts e Porters, e essa é uma boa representante do estilo. Recomendo.