Saltar para o conteúdo

9C. Baltic Porter

Impressão Geral: Uma Baltic Porter a maioria das vezes tem sabores de malte que lembram a uma English Porter e o restrito torrado de uma schwarzbier, mas com uma maior densidade inicial (OG) e mais álcool do que qualquer uma destas. Muito complexo, com sabores de malte em múltiplas camadas e com notas de frutas escuras.

Aroma: Rico dulçor de malte que muitas vezes contém notas de caramelo, toffee, nozes e profundo tostado e/ou licor. Álcool complexo e perfil de ésteres de intensidade moderada, com reminiscência a ameixas, passas, cerejas ou groselhas, ocasionalmente com uma qualidade vínica de Porto. Algo de caráter de malte mais escuro, como chocolate, café ou melado, mas nunca de queimado. Lúpulo ausente. Nenhuma acidez. Muito suave.

Aparência: cor acobreado escuro avermelhado a um castanho escuro e opaco (nunca preto). Espuma espessa, de cor bronzeada, persistente. Límpida, embora algumas versões mais escuras possam ser opacas.

Sabor: Tal como acontece com aroma, tem um dulçor maltada rico com uma mistura complexa de malte profunda, ésteres de frutas secas e álcool. Tem um proeminente, mas ainda suave torrado do tipo de uma Schwarzbier, que não chega a ser queimado. Sacoadora na boca e muito macia. Perfil lager limpo. Inicia doce, mas os sabores de maltes escuros rapidamente dominam e persistem até o fim. Um toque seco, com uma ligeira nota de café torrado ou licor, no final. Os maltes pode ter uma complexidade de notas de caramelo, toffee, nozes, melaço e/ou licor. Leves notas de groselha preta e frutas escuras. Amargor médio-baixo a baixo, apenas para proporcionar o equilíbrio. Sabor de lúpulo com leve caráter condimentado de médio-baixo a nenhum.

Sensação de Boca: Corpo geralmente bastante elevado e macio, com um calor de álcool envelhecido. Carbonatação de intensidade média a médio-alta, fazendo-a parecer ainda mais encorpada. Não é pesada na língua devido ao nível de carbonatação.

Comentários: Atualmente, também pode ser descrita como Imperial Porter, embora as versões muito tostadas ou lupuladas não são apropriados para este estilo. A maioria das versões estão nos níveis de 7 a 8,5% ABV. As cervejarias dinamarquesas muitas vezes se referem a elas como Stouts, indicando a sua linhagem histórica aos dias em que a designação Porter foi usada como um nome genérico para Porter e Stout.

História: Cerveja tradicional dos países banhados pelo Mar Báltico, desenvolvidas de forma autóctone, após exportação em larga escala de Brown ou Imperiais stouts da Inglaterra foram estabelecidos. Historicamente de fermentação alta, muitas cervejarias adaptaram suas receitas para utilizar levedura de baixa fermentação, juntamente com o resto de sua produção.

Ingredientes Característicos: Geralmente levedura lager (fermentação a frio se for usado fermento ale, como é exigido quando produzida na Rússia). Malte chocolate ou maltes escuros sem amargor. Malte base Vienna ou Munich. Lúpulos continentais (tipicamente do varietal Saaz). Pode conter malte Cristal e/ou adjuntos. Maltes Brown ou Âmbar é comum em receitas históricas.

Comparação de Estilos: Muito menos tostada e mais suave que uma Imperial Stout, típicamente com menos álcool. Carece das qualidades torradas intensas das Stouts em geral, embora tenham algumas notas torradas mas não queimadas de una Schwarzbier. Bastante frutada comparada com outras Porters e com mais álcool.

Estatísticas Vitais:

OG: 1.060 – 1.090
FG: 1.016 – 1.024
IBUs: 20 – 40
SRM: 17 – 30
ABV: 6.5 – 9.5%

Exemplos Comerciais: Aldaris Porteris, Baltika #6 Porter, Devils Backbone Danzig, Okocim Porter, Sinebrychoff Porter, Zywiec Porter.

 

Retornar à Strong European Beer

 

%d bloggers like this: